Indústria 4.0: Agenda brasileira para transformação da sociedade

Indústria 4.0: Agenda brasileira para transformação da sociedade

A indústria 4.0 é uma enorme revolução para a criação de soluções para as demandas do mundo atual. O profissional do século 21 deve estar preparado para trabalhar na nova economia.

Independentemente do setor de atuação de uma empresa, sua cultura organizacional deve absorver essas novas demandas. É com esse fim que surgem as startups, empresas modernas, ágeis e inteligentes. A realidade das startups, que investem em alta tecnologia e nas pessoas, contempla as exigências da indústria 4.0.

A realidade da indústria no Brasil

Muitos países estão há décadas se preparando para as transformações no mercado de trabalho e na economia. Educando seu povo para as profissões do futuro, que demandam, em sua maioria, habilidades profissionais distintas das que tivemos até então.

Enquanto isso, aqui no Brasil sofremos problemas endêmicos na indústria. Entre eles:

Neste último caso, empresas e indústrias multinacionais temem pelas dificuldades políticas, econômicas e burocráticas do país. Essas situações são corriqueiras no Brasil, sendo parte da tradição e da cultura ao longo de décadas.

Dados informam que em apenas uma década (de 2006 a 2016) a atividade industrial brasileira caiu mais de 7%. A indústria representa hoje apenas 10% do PIB – o Produto Interno Bruto – que é a soma de todos os bens e recursos produzidos no país.

No Índice Global de Competitividade da Manufatura, o Brasil caiu da 5º posição em 2010 para a 29º posição em 2016. Atualmente, o país ocupa a 69ª colocação no Índice Global de Inovação. Esses são números alarmantes, especialmente para crianças e jovens em fase escolar, que precisarão trabalhar no futuro.

Por fim, o relatório “Readiness for the Future of Production Report 2018” (WEF) mostra como nossa situação é complicada. O Brasil está na 41ª posição em termos da estrutura de produção, e na 47ª posição nos setores de produção da indústria.

O que o Brasil precisa fazer?

Para o Brasil crescer em inovação, empreendedorismo e industrialização, é preciso entrar de vez na era da Indústria 4.0. Se o país tem a intenção de usufruir de todos os benefícios que ela pode trazer, serão necessários muitos ajustes e investimentos. Porém, essas correções não devem ser de apenas um lado, ao contrário, todos têm participação:

  • Poder público;
  • Setor privado;
  • Sociedade civil.

Se o Brasil quer garantir o seu futuro, é necessário investir na indústria 4.0 e gerar oportunidades para os mais jovens. Algumas demandas são extremamente urgentes, como:

  • Investir na educação transformadora, que capacite os jovens para suprirem as demandas nascentes dessa nova economia;
  • Criação de cursos técnicos, que promovam a inserção maciça de novos profissionais no mercado de trabalho;
  • Profundas mudanças nos currículos universitários, que precisam compreender as necessidades do mercado do futuro;
  • Possibilidade de acesso a estudos e ao ensino superior por parte de toda a população, especialmente jovens de baixa renda, que são a maioria da população brasileira.

Indústrias e grandes empresas precisam investir em energia limpa e na economia sustentável. Novos modelos de negócios, como o sharing economy, podem agregar valor ao cliente e trazer diferenciais competitivos para uma marca. Sem contar que também colaboram com o meio ambiente e promovem mudanças reais na economia.

A indústria 4.0 no contexto brasileiro

Pesados investimentos em inovação e tecnologia trazem eficiência, redução dos custos de manutenção de maquinário e economia de energia. Investir na saúde do trabalhador, e garantir o acesso igualitário aos postos mais altos de uma organização também. Toda modernização na cultura organizacional faz parte do processo revolucionário necessário para os novos tempos.

É importante que o Brasil aproxime-se cada vez mais da agenda mundial de inovação e crescimento econômico. O primeiro objetivo da indústria 4.0 é não deixar o país se atrasar em relação a outras nações. Outro propósito é possibilitar que os jovens invistam seu capital intelectual no próprio país. O Brasil deve evitar um êxodo de mão-de-obra qualificada para países com maiores possibilidades e atrativos da Ásia e da Europa.

A indústria 4.0 possibilita, ainda, o surgimento de novos negócios, modernos, revolucionários e atraentes. O crescimento de startups deve ser tido como um ponto de importância para o país. Tanto profissionais quanto investidores devem olhar para esse segmento com maior atenção.

O Brasil precisa da indústria 4.0, e apenas com investimento e educação podemos alcançar o patamar tão esperado. O mercado espera mais do Brasil, e sua população também. Que a indústria 4.0 e suas novas demandas e soluções tragam mais esperança para o povo brasileiro.

Publicado por Ibraim Gustavo

Ibraim Gustavo: Jornalista, pós-graduado em Marketing e MBA em Comunicação e Mídia. Possui formação em Profissões do Futuro (O Futuro das Coisas) e no Programa de Capacitação da Nova Economia (Startse). Empreendedor, sócio-fundador e COO da Freestory.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: