A Indústria 4.0 e o profissional do novo mundo

A Indústria 4.0 e o profissional do novo mundo

Se você já ouviu falar no uso da tecnologia no contexto do mercado de trabalho, então você já ouviu falar em Indústria 4.0. A expansão da tecnologia e das ferramentas digitais e virtuais têm possibilitado inúmeras formas de trabalho. Também conhecida como Quarta Revolução Industrial, a Indústria 4.0 é o coração dos empreendimentos do século 21. Maneiras que até então eram impensáveis para exercer uma tarefa, agora, com a tecnologia são formas revolucionárias de se trabalhar.

A Indústria 4.0 na aplicação prática da vida

A Quarta Revolução Industrial é cada vez mais percebida dentro dos mais variados contextos e áreas, como educação, saúde, engenharia e entretenimento. São diversas as ferramentas da Indústria 4.0, entre elas:

  • Robótica;
  • Inteligência Artificial (IA);
  • Blockchain;
  • Internet das Coisas (IoT);
  • Computação em nuvem

Na educação, por exemplo, a Indústria 4.0 tem tido grande relevância no conteúdo, ou seja, nos currículos escolares. Especialmente com a introdução de disciplinas voltadas ao tema, como robótica, maker e programação.

Mas não somente no conteúdo das disciplinas de sala de aula, a Indústria 4.0 tem tido penetração fundamentalmente na forma de ensinar. A educação está passando por uma transformação da apresentação e delivery das aulas E isso ocorre tanto dentro da escola, o ensino presencial, quanto no EaD, e também no ensino híbrido.

A telemedicina, existente em alguns países do mundo há alguns anos, vigora no Brasil desde o início da pandemia em 2020. Essa modalidade de praticar medicina tem possibilitado os atendimentos com segurança, agilidade e praticidade. Não apenas médicos, clínicas e hospitais, mas todos os envolvidos são beneficiados, incluindo os pacientes.

Desde a primeira consulta a Indústria 4.0, com suas tecnologias agregadas, têm possibilitado a expansão da telemedicina no Brasil. Ela é utilizada para:

  • Agendar consultas e retornos;
  • Realização de exames;
  • Emissão do receituário.

na engenharia e construção civil também podemos ver o emprego da tecnologia, fomentando a Indústria 4.0. Novos materiais e recursos, emprego de alta tecnologia para resolução de  problemas estruturais e cálculos são alguns exemplos. Uso de robôs, IA e edificação de construções e cidades inteligentes também são frutos da Indústria 4.0 

O entretenimento, a cultura e as artes também sofreram profunda influência e passam por constantes processos de transformação Além disso, é necessário que profissionais e empresas se adaptem para serem eficientes e funcionais no século 21.

O teatro saiu dos palcos e foi parar na tela de cinema, escalando o número de pessoas que poderiam ver a mesma obra produzida apenas uma vez. Com o advento da televisão, o cinema, e por conseguinte o teatro, foram parar dentro das casas.

Atualmente, peças de teatro, shows musicais e exposições de museus são realizados à distância. A transmissão online por diversas plataformas e redes sociais permite uma experiência mais imersiva para o usuário.

Sem falar nas plataformas de streaming, como Netflix, Prime Video e Freestory, com suas incontáveis produções. Voltadas para informação e entretenimento, essas empresas criam e distribuem filmes, séries, documentários, músicas e podcasts, entre outros.

Os empregos na Indústria 4.0

Quanto mais o tempo passa, mais a evolução toma conta da vida do homem, entrelaçando-se à ele e fazendo parte da sua vida.

Em 1760 deu-se a Primeira Revolução Industrial, que transformou o trabalho do homem, criando o sistema fabril mecanizado. Foi a primeira vez que o homem viu o posto de trabalho ser praticamente dizimado, e sua força ser substituída por uma máquina.

Outras duas revoluções no campo da indústria ocorreram até a chegada da Quarta Revolução Industrial. Elas influenciaram fortemente o mercado de trabalho e a vida profissional do ser humano.

Essa revolução, que proporcionou o surgimento da Indústria 4.0, acelerou diversos processos. Entre eles, a substituição cada vez mais rápida e selecionada do ser humano pela máquina. E, cada vez, as máquinas estão mais inteligentes, e à disposição para o homem, como o uso de robôs e IA.

É bem verdade que empregos deixam de existir a cada nova fase da humanidade e da expansão tecnológica na sociedade. Estudos apontam que até 2022, 75 milhões de empregos provavelmente irão desaparecer. Porém, nem tudo está perdido, como algumas pessoas podem pensar. Outros 133 milhões surgirão para suprir a demanda do mercado das vinte maiores economias do mundo.

Todavia, é importante que os profissionais estejam preparados para serem absorvidos por esse novo mercado de trabalho. Essa nova fase será muito mais exigente e desafiadora, e vai demandar novas habilidades e competências dos profissionais.


A Indústria 4.0 já é realidade, e não há como escapar dela ou imaginar uma vida sem a sua influência. Portanto, nosso papel agora é pensar em como nos adaptar frente a essa nova forma de pensar, agir e trabalhar.

Publicado por Ibraim Gustavo

Ibraim Gustavo: Jornalista, pós-graduado em Marketing e MBA em Comunicação e Mídia. Possui formação em Profissões do Futuro (O Futuro das Coisas) e no Programa de Capacitação da Nova Economia (Startse). Empreendedor, sócio-fundador e COO da Freestory.

Um comentário em “A Indústria 4.0 e o profissional do novo mundo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: