Jeff Bezos: CEO da Amazon torna-se líder histórico

Jeff Bezos CEO da Amazon torna-se líder histórico

Um dos maiores empreendedores do século 21, Jeff Bezos é um exemplo de liderança e de capacidade de inovação, sendo o fundador e CEO da Amazon por mais de vinte anos, a maior empresa de varejo do planeta.

O anúncio de Jeff Bezos de que deixará a presidência de sua companhia em 2021 surpreendeu – positivamente – o mercado, e tomou conta do noticiário econômico da primeira semana de fevereiro.

O ainda CEO da Amazon afirmou que vai ocupar a presidência do conselho de administração, e se dedicar à projetos sociais, filantrópicas e de inovação.

Andy Jassy, CEO do serviço de hospedagem em nuvem Amazon Web Services (AWS), será o novo gestor operacional e presidente da empresa.

Do varejo à nuvem, a evolução da Amazon

Muita gente que deseja empreender acredita que há uma fórmula específica para se obter sucesso. Outros creem que empreendedorismo é uma ciência exata, que pode ser aprendida se o interessado seguir um passo-a-passo.

Jeff Bezos prova que não é bem assim. Formado em engenharia elétrica e ciências da computação, trabalhou em diversas empresas, incluindo uma startup de telecomunicações e instituições financeiras.

E, ao observador atento, fica nítido que nenhuma dessas áreas têm a ver com a realidade da empresa, de agora ou de 1995, ano em que as operações da Amazon foram iniciadas, ainda como uma livraria virtual.

Para os mais jovens, sim! A Amazon nasceu pequena, e como uma simples livraria virtual, que tinha como diferencial o investimento na inteligência artificial e na coleta de informações sobre internautas e clientes, formando um banco de dados satisfatório e eficiente.

Hoje, a gigante do varejo atua em outras frentes, como serviços de tecnologia, como o leitor digital de livros Kindle; a assistente pessoal de voz Alexa e os serviços de streaming Amazon Music e Prime Video, este último tendo se tornado, inclusive, um estúdio não só de distribuição mas de criação e produção de séries e filmes, que inclusive concorrem ao Oscar, a maior premiação do cinema mundial.

Além disso, a empresa é a maior plataforma de marketplace do mundo, possuindo uma frota de 80 aviões para operacionalizar as entregas, a Amazon Air, e desde 2002 Jeff Bezos lançou a AWS, uma plataforma de serviços de computação em nuvem da Amazon.

Empresário, filantropo e conquistador espacial

Além de megaempresário do setor do varejo e da tecnologia, Jeff Bezos é dono de um dos mais famosos e conceituados jornais dos Estados Unidos, o Washington Post, e da empresa do setor espacial, Blue Origin.

É também criador das organizações filantrópicas Day 1 Fund e Bezos Earth Fund, às quais o empresário pretende se dedicar após deixar a presidência da Amazon.

De alguém que no início precisou de investimentos para criar sua empresa, hoje Jeff Bezos investe em outros empreendimentos, como é o caso da Nautilus Biotechnology, biotech de Sujal Patel, que recebeu um aporte de US$ 76 milhões para ser criada, em plena pandemia.

E na sua permanente concorrência com Elon Musk, fundador e CEO da Tesla e da SpaceX, Bezos tem seu foguete New Glenn (da Blue Origen) aprovado pela agência espacial norte-americana (NASA) para missões futuras no espaço.

A maior herança de Jeff Bezos

Segundo o último cálculo da revista Forbes, especializada em economia e finanças, Jeff Bezos tem uma fortuna avaliada em US$ 196 bilhões, e é o segundo homem mais rico do planeta, atrás apenas de Elon Musk.

Todavia, essa não é maior herança que Jeff Bezos deixa para o humanidade. Seu dinheiro, assim como o de outros milionários, pode ser calculado, investido, aplicado e até mesmo perdido, por mas difícil que isso parece ser.

A maior herança, porém, é a sua coragem, o seu desprendimento, a sua certeza de ter formado o melhor time, e a confiança de que sua empresa, nascida das suas ideias, estarão em mãos confiáveis e competentes, que farão a empresa crescer ainda mais.

Jeff Bezos entendeu que criou uma empresa para servir às pessoas, para satisfazer as necessidades e ocupar lacunas e brechas deixadas na sociedade. E ele fez – e faz! – isso com excelência.

Não é um simples doador de cestas básicas, por mais importante que este ato possa ser, e muito significativo. É, antes, um gerador de empregos, realizador de sonhos, e alguém que se empenha em aproximar as pessoas de uma realidade não possível sem os serviços que ele criou oferece.

Mas dirá alguém: “Se Bezos não houvesse feito, outro faria”. É verdade! Outro, sem dúvida, teria feito. Outro empreendedor teria criado uma livraria online, expandido as áreas de atuação, e ter-se-ia tornado um gigante no mundo dos negócios. Mas Bezos fê-lo primeiro, e isso garantiu a ele ser um dos maiores , mas importantes e mais icônicos CEOs e empresários do século 21.

E mais uma vez sai na frente dando crédito e fortalecendo sua equipe e seu time, demonstrando que outros profissionais e colaboradores dentro da Amazon podem crescer e sonhar muito, muito mais alto.

Publicado por Ibraim Gustavo

Ibraim Gustavo: Jornalista, pós-graduado em Marketing e MBA em Comunicação e Mídia. Possui formação em Profissões do Futuro (O Futuro das Coisas) e no Programa de Capacitação da Nova Economia (Startse). Empreendedor, sócio-fundador e COO da Freestory.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: