Desemprego no Brasil

Desemprego no Brasil

O desemprego no Brasil atingiu em 2020 12,85 milhões de pessoas, e o número representa 12,2% de toda a força de trabalho do país atualmente. Porém, um novo estudo do Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas) publicado no portal Poder 360 no início de abril, afirma que após a crise do Coronavírus, mais 12,6 milhões de pessoas podem perder seus empregos, e o índice alcançaria a terrível marca de 23,8% de pessoas sem emprego em todo o Brasil.

O desemprego no Brasil traz com ele diversas preocupações: sem emprego, não há dinheiro; sem dinheiro não há consumo; não havendo consumo, as empresas não lucram e demitem cada vez mais pessoas, e isso se torna um espiral amedrontador para a nação.

Acrescido a esse fator, há ainda a informalidade, que avança no país e preocupa, por seu caráter despreocupado em relação aos direitos do trabalhador e ao futuro dele e de sua família, que muitas vezes depende de um único profissional para o sustento de toda uma casa.

Em praticamente todos os setores da economia houve demissões em massa, e o desemprego no Brasil registrou a maior retração desde 2012, afetando desde trabalhadores domésticos, até profissionais da construção civil.

A taxa de desempregados chegou a -2,6% na indústria, -6,5% na construção, -5,4 em alojamento e alimentação, -5,9% nos serviços domésticos, -3,5% no setor do comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, e -4,1% em outros serviços.

Mesmo com o desemprego no Brasil ainda há vagas

O quadro do desemprego no Brasil, e a situação que se agrava, contudo, não nos faz desistir. Ao contrário, é agora, na incerteza e na dificuldade que devemos escolher avançar, e criar oportunidades para todos os brasileiros vencerem juntos essa crise.

Mesmo em meio à pandemia, outros setores vêm crescendo e contratando, justamente por verem um aumento na demanda e nas vendas, como é o caso do setor de supermercados, que tem registrado aumento nas vendas, já que as pessoas têm cozinhado mais em casa.

A indústria de higienização de ambientes e as que produzem materiais hospitalares também vêm contratando, e os profissionais da área não têm sofrido os impactos do desemprego no Brasil como em outras modalidades.

Se por um lado muitos setores têm demitido ou reduzido a força de trabalho, por outro, algumas empresas têm vivido um crescimento importante nas vendas e, como consequência, contratado mais, mesmo em meio à crise.

Publicado por Ibraim Gustavo

Ibraim Gustavo: Jornalista, pós-graduado em Marketing e MBA em Comunicação e Mídia. Possui formação em Profissões do Futuro (O Futuro das Coisas) e no Programa de Capacitação da Nova Economia (Startse). Empreendedor, sócio-fundador e COO da Freestory.

5 comentários em “Desemprego no Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: